Primeiros Socorros e a importância do desfibrilador

Foto: portal CMOS Drake

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), as Doenças Cardiovasculares (DCV) são a principal causa de morte no mundo. Em 2016, 17 milhões de pessoas foram vítimas de problemas coronarianos, como ataques cardíacos e derrames. No Brasil, dados do Hospital do Coração, em São Paulo, apontam que cerca de 30% da população é vitimada por essas doenças.

No sentido de minimizar essa estatística, os estabelecimentos com grande circulação de pessoas devem manter disponível um Desfibrilador Externo Automático (DEA),  utilizado em casos de parada cardiorrespiratória, com o objetivo de restabelecer o ritmo cardíaco da vítima. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 100 mil pessoas poderiam ser salvos por ano caso um DEA estivesse disponível e de fácil acesso. Por isso, a importância do equipamento nos primeiros socorros.

Na FMVZ, há um DEA disponível na Assistêsncia Administrativa, no primeiro andar do Prédio Administrativo. Dois funcionários da Brigada de Incêndio da Faculdade foram treinados para sua utilização: Dennis Albert Zanatto, ramal 48-8259 (dennis.zanatto@usp.br),do Departamento de Patologia; e Heitor Faria Rodrigues, ramal 91-7666 (heitor.rodrigues@usp.br), da Assistência Administrativa. As informações sobre o funcionamento do equipamento  estão disponíveis aqui

Segundo Daniel Dias, presidente da Comissão de Prevenção de Acidentes (Cipa), da Faculdade,  são necessários mais voluntários para atender toda a área da Faculdade. “A melhor forma para que isso ocorra é que todos os departamentos tenham voluntários preparados e fisicamente aptos para dar resposta às situações de evacuação das edificações, combate a princípios de incêndio e primeiros socorros”, explicou.     

Podem se candidatar,  os servidores celetistas, docentes, estudantes de pós-graduação e pós-docs.  Ao brigadista cabe, de acordo com o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, proteger a vida dos ocupantes das edificações e áreas de risco, em caso de incêndio; dificultar a propagação do fogo, reduzindo danos ao meio ambiente e ao patrimônio; proporcionar meios de controle e extinção do incêndio; dar condições de acesso para as operações do Corpo de Bombeiro; e proporcionar o abandono das edificações. Ressalta-se também a importância de se atuar na primeira abordagem de um acidentado, prestando-lhe os primeiros e fundamentais cuidados.

As inscrições para brigadistas estão abertas e devem ser feitas por meio do formulário disponível aqui.  

Para mais informações sobre primeiros socorros, acesse o site da Cipa.